TRANCHES DE VIE D'UNE LUPIQUE

TRANCHES DE VIE D'UNE LUPIQUE

Com verdade te digo

COM VERDADE TE DIGO

Com verdade eu te digo,
Obrigada pela amizade e carinho,
A tua mensagem ternurenta,
Minha tristeza afuguenta.

Andava triste e desanimada,
De ti amiga, não sabia nada,
Todos os dias, teu cantinho venho visitar,
Na esperança de novidades encontrar.

Venho e me passeio devagar,
Na tua escritura me consigo encontrar,
Mas com tristeza eu digo adeus.

Penso que não te deves sentir muito bem,
O que acontece comigo, por vezes tambem,
Mas para que sejas feliz peço a Deus!...

Dora Coimbra

0 appréciations
Hors-ligne
Nesta vida sem existência
Que o tempo propulsa e avança
Nem sempre tenho paciência
Deixando a folha branca

Se novidades não encontras
Quando meu cantinho visitas
São as palavras que faltam
Para poderem ser escritas

Mas com verdade te digo
É um positivo sinal
Visto que eu escrevo e digo
Somente quando estou mal

As alegrias sentidas
Guardo-as no coração
As tristezas são enviadas
Vogando com o vento soão


Beijinhos Dora


Un pur esprit s`accroit sous l`écorce des pierres (Nerval)

Répondre
Pseudo :
Adresse e-mail:


Se souvenir de mes infos ( pseudo et e-mail ) :
Cochez la case ci-contre :

Inscrivez-vous au blog

Soyez prévenu par email des prochaines mises à jour

Rejoignez les 27 autres membres